Comentários

Ficaremos honrados em receber seu comentário! Ao final dos comentários tem espaço para deixar o seu. Nas páginas das turmas, você também pode deixar o seu diretamente aos colegas.

Lembrando que sua mensagem será aprovada manualmente para controle de “spam” e evitar sua distribuição. E também poderá ser editada para atender as regras do site.


17 respostas para “”

  1. *A ESSÊNCIA DE SER MILITAR*

    Muitos criticam, mas não entendem o que é ser militar, acreditem.
    Educam-nos para amar, vibrar, ser correto, ético, gentil e, não somente, para defender e lutar, lutar…
    Ser “soldado” na terra, no mar e no ar, não é produto do “acaso”. É “genético”.
    Você deve gostar da ordem, da disciplina, da hierarquia e de muita aventura e abnegação.
    Ser militar não é sinônimo de riqueza, muito pelo contrário, embora alguns pensem que sim.
    É sinônimo de viver uma vida com o necessário (e este necessário é muito pouco, quase sempre, e este pouco inclui usufruir da companhia de sua família).
    Ser militar não é sinônimo de luxos e “neons”.
    Há muitas limitações, sacrifícios e desconfortos no desenvolvimento da sua vida profissional.
    Inclui levantar-se todos os dias antes de todo mundo, deixar o conforto da sua cama pelo frio matinal, ou pelos companheiros ávidos pelo café da manhã, para cumprimentar o amanhecer com seu suor.
    Para ser militar, deve-se entender que, na vida, nada virá fácil, muito menos de graça.
    Antes de marchar, você deve aprender a caminhar; mas caminhar bem equipado.
    Antes de caminhar, você deve merecê-lo correndo; correndo no acelerado.
    Antes de mandar, você deve aprender obedecendo e, muitas vezes, será mais obedecendo do que dando ordens.
    E, quando você ficar velho, seu desempenho vai lhe afastando das longas marchas, das patrulhas no mar, nos rios e em terra, dos vôos de cruzeiro no céu… do comando de homens mais jovens…
    Aí, você descobre que seu tempo pessoal desaparece, pouco a pouco, e que sua responsabilidade, agora, é colaborar no planejamento que permitirá um melhor emprego dos recursos que o Estado lhe confiou.
    É fácil de reconhecer um militar, é aquele que:
    … anda na frente, mesmo velho, tentando que seu peito sobressaia do seu ventre;
    … cede seu lugar onde quer que esteja;
    … abre a porta;
    … chega cedo aos encontros;
    … anda sempre bem vestido, com roupas que deixaram de ser moda há vários anos;
    … em dias de descanso, está sempre fazendo outra atividade;
    … para descansar, faz esporte, corta lenha, pinta a casa etc.;
    … come o que lhe é servido e agradece pelo alimento;
    … deita-se por último e levanta-se primeiro, mesmo sabendo que não tem nenhum compromisso para o novo dia;
    … pára diante de um cortejo fúnebre;
    … fica em posição de respeito, quando se canta o Hino Nacional;
    … ou na presença da Bandeira Nacional;
    … fica triste, quando se falta com o respeito aos Símbolos Nacionais.
    Militar não é, necessariamente, um homem fardado, com a cara camuflada e empunhando uma arma.
    Militar é todo aquele que, um dia, usou uniforme, ficou apaixonado pela hierarquia, pelo rigor e disciplina e, agora, em outro ramo profissional, emociona-se ao ver soldados marchando e volta a se sentir jovem.

    Que Deus nos abençoe, ilumine nosso caminhar e nosso agir, onde quer que estejamos.

    *”BRASIL acima de tudo DEUS acima de todos”*

  2. Nesses dias que estamos (re) aprendendo a conviver em família. Em que estamos valorizando velhos habitos, tais como, reunir a família à mesa, conversarmos sobre vários assuntos, não só “como foi seu dia”, acompanhar e colaborar com o crescimento dos filhos.
    Essas coisas todas vão nos deixar mais fortes espiritualmente, mais compreensivos com o próximo.
    E, aguardo com ansiedade, o próximo
    encontro, para poder apertar a mão de cada um daqueles que, nesses momentos, estavam ao nosso lado, incentivando, trazendo uma palavra de conforto,
    Até breve AMIGOS

  3. Grande surpresa ver as fotos destes colegas do NPOR-1974. Trazem boas recordações. Gostaria de rever todos para matar um pouco da saudade daqueles bons tempos que passamos juntos.

    1. Boa noite Antônio. Vc passou por Votuporanga e eu tive o privilégio de trabalhar com vc. Tá por onde? Como está a família? José Carlos Mainardi

      1. Oi Mainardi!
        Aqui tudo bem e você e família, tudo bem? Estou morando em Arroio do Meio – RS, no interior do município, em um sítio. Cultivamos hortaliças no sistema orgânico. Agora eu e a Helena estamos confinados devido coronavirus, nos cuidando como os velhinhos devem fazer.
        Em grande abraço!

  4. Saudades daquele ano….muitas lembrancas boas….
    Revendo as fotos e lembrando dos bons amigos que fiz..
    So a nossa infataria poderia me oferecer este presente depois de tantos anos
    Um abraco a todos e a gente abandona a infantaria…a infantaria nunca nos abandona
    BRASIL ACIMA DE TUDO!!!

  5. Olá ,
    Meus Irmãos de Arma, é uma honra fazer parte desse grupo.
    Estou aqui em Cáceres/MT, no 2° Batalhão de Fronteira, sejam todos muito bem vindos para visitar o nosso Pantanal.
    Forte abraço a todos.

  6. Fico feliz que vocês tenham contatado o Cel Itaroty, pois, na minha opinião, é a melhor pessoa a ser procurada, como foi, para ajudar no difícil levantamento que vocês estão realizando sobre o NPOR. O Cel Itaroty, além de um excelente militar que foi, pois hoje está na reserva ou reformado, é um dos melhores seres humanos que conheci em toda a minha vida, dessas pessoas extremamente confiáveis e sempre prontas a ajudar. Quando fui instrutor chefe do nosso NPOR, tive como instrutores ele, o Sarmento e o Pillar, hoje general reformado. Todos foram excelentes instrutores. Com oficiais de tal quilate, nem precisaria um instrutor chefe, bastaria um bom sargenteante e um cabo ou soldado para bater o QTS ( Quadro de Trabalho Semanal) e isso eu tive, o soldado OTÁVIO, tão bom e competente que hoje é aposentado pelo BB como gerente.
    Talvez meu único mérito quanto ao NPOR tenha sido o de ter sido pioneiro na instrução, turma 63/64, major Ney como Instrutor Chefe e o tenente Krüger como o segundo instrutor. Infelizmente, naquele tempo não estava em uso o recurso digital, motivo pelo qual muito se perdeu, restando apenas lembranças esporádicas, a não ser que pessoas como o Cap Ribeiro, nosso poeta da Academia Literária de S. Leopoldo, verdadeiro “arquivo vivo”, tal qual o Cel Itaroty, tenham guardado, como de fato guardaram, vários e importantes dados, facilitando assim o importante e relevante trabalho que vocês estão a realizar. Desde já, parabéns e força.. Um abraço

  7. Fui aluno em 92 e oficial de 94 a 2001. Muito boa a iniciativa do portal. Em 2015 organizamos com o apoio do CMT do Batalhão, o 1º encontro dos NPOR’s do 19. Na época tivemos dificuldade em localizar o pessoal das turmas mais antigas. Espero que o site seja o pontapé inicial para fazermos um 2º encontro. Forte abraço!!! Brasil!!!!

  8. Excelente iniciativa. Sou da Turma de 74 e em Dez de 76 fomos convocados, juntamente com mais dois colegas de turma, Cláudio José Bonenberger e Marco Aurélio Passini, para o Estágio de Serviço no 19• BIMTZ.
    Estagiei até Jan de 83. O Passini e o Bonenberger tomaram outro rumo antes desta data. Solicitei agora há pouco a outros companheiros de Turma que encaminhem material. Outros, fizeram Estágio de Serviço em outras Unidades, como, por exemplo, o Sadi Meine no 17. Grande abraço
    INFANTARIA !!’

  9. Gostaria de dar as boas vindas aos que se juntaram a nós, nessa missão de resgatar a história do NPOR do 19º.
    Quando nós foi apresentada a proposta pelo CMS, não tínhamos a noção de que seria tão rápida a divulgação e a incorporação das turmas.
    Se você conhecer alguém de outra turma, passe pra ele a nossa proposta e só assim poderemos ajudar a montar o site com todas turmas.
    BRASIL ACIMA DE TUDO.

    Ten R2 Ferreira
    51 984002951

  10. É uma grande satisfação ofertar meu tempo na colaboração da criação e manutenção deste site, que busca a reintegração dos Oficiais R2 do 19 BIMtz que compartilham de experiências similares na nossa formação e que mantém os escritos da nossa bandeira em seu coração, com a missão de construção de um Brasil melhor. Sejam bem-vindos combatentes! E que nos alegremos nas lembranças e de uma amizade forjada com suor, sacrifício, esforço e baseada em humildade e lealdade. Apoie e colabore no resgate de nossos irmãos de arma!

    Abraços.
    Ten R2 Santana
    51 998826579

Deixe uma resposta para Luis Antônio FERREIRA Garcia/81 Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *